segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Paul Tudor Jones é um dos TOP 10 dos Negociadores no Mercado de Ações em Todos os Tempos.

 


Paul Tudor Jones II tem 66 anos. Nasceu em 1954 em Memphis, Tennessee. Seu pai praticava advocacia e era editor do Memphis Daily News, fundado pela família em 1886. Jones se formou na escola primária Presbyterian Day School. Cursou o ensino médio na Memphis University School. Em 1976, ele obteve o diploma de bacharel em economia pela Universidade da Virgínia, onde foi campeão de boxe meio-médio. Para pagar a mensalidade na Universidade, Jones escreveu para o jornal de sua família sob o pseudônimo de Paul Eagle.

Após se formar, Paul Jones pediu a seu tio William Dunavant que o ajudasse a iniciar-se no mercado de negociação de ativos na bolsa. Dunavant era um comerciante de algodão de sucesso e o enviou para falar com o corretor de commodities Eli Tullis em Nova Orleans, onde representava alguns dos maiores comerciantes de algodão do mundo. Tullis contratou Jones e o orientou na negociação do mercado de futuros de algodão na Bolsa de Algodão de Nova York. Mas não durou muito tempo... Eli Tullis demitiu Jones quando ele adormeceu em sua mesa após uma noite de festa em Nova Orleans.         

Em seguida trabalhou (1976-1980) na EF Hutton & Co., onde conheceu e ficou amigo de Glenn Dubin, atualmente um bilionário gestor de fundos Hedge. Em 1980, quatro anos após se formar na universidade, Paul decidiu começar a negociar por conta própria. Ele se tornou um operador de pregão independente na New York Cotton Exchange e foi muito bem-sucedido nisso ... de 1980 a 1984, ele teve apenas um único mês de com perdas!

Jones, porém, apesar de seu sucesso e de todo o dinheiro que ganhava, entediou-se e coincidentemente, nessa ocasião, foi aceito na Harvard Business School. Ficou muito motivado e já estava quase decidido a ir. No entanto, ele pensou melhor e percebeu que na universidade não aprenderia as habilidades necessárias para ser um operador de mercado e decidiu que era uma atitude ilógica e ficou onde estava. Foi quando, em 1984, em parte por causa do tédio e preocupações com a saúde, decidiu que seria gestor de fundos, iniciando a Tudor Futures Fund com US$ 1,5 milhão em ativos sob gestão. Na ocasião ele declarou: “Fiquei realmente entediado porque não havia a interação pessoal, que era algo que eu ansiava e foi quando comecei meu fundo. Durante todo o meu crescimento, estive envolvido em esportes coletivos e fraternidades e na escola estive envolvido em uma variedade de atividades, todas voltadas para equipes, e quando estava sozinho, imprimia dinheiro todos os meses, mas não tinha satisfação psíquica nisso.” 

A Tudor Investments apresentou retorno médio anual de aproximadamente 19% desde o início de suas atividades, sendo incrivelmente consistente. Tony Robbins (que trabalha com Jones) afirmou que ganha dinheiro todos os anos desde que começaram a trabalhar juntos. Os melhores e mais famosos resultados ocorreram durante a quebra do mercado em 1987. O dia 19 de outubro de 1987 ficou conhecido como 'segunda-feira negra' devido a quebra dos mercados de ações globais. O Dow Jones Industrial Average perdeu um quinto de seu valor. Paul Jones, junto com seu estrategista Peter Borish, previu o crash da Segunda-Feira Negra e por isso conseguiu triplicar os ganhos mantendo grandes posições vendidas (uma posição vendida lucra quando o preço do ativo desce).

Jones é um investidor macro global. Isso significa que suas decisões são baseadas em um nível macroeconômico. Ele se concentra na situação geral econômica e política dos países. Jones investe em qualquer classe de ativos, mas prefere fazer uso do mercado futuro. Ele disse numa ocasião: “Sempre gostei muito do mercado futuro, porque geralmente você pode obter liquidez e conseguir o dinheiro literalmente no espaço de alguns minutos.” 

O estilo de investimento de Paul Jones é baseado no fato em que ele interrompe sua posição de perdas quando se sente desconfortável. A estratégia é jogar na defesa, não no ataque. Ele tem stops mentais. Se atingir o número, ele abandona a posição, não importa o que aconteça. Ele usa não apenas stops de preço, mas também stops de tempo. Ele acredita que os preços se movem primeiro e os fundamentos vêm em segundo lugar. Ele recomenda humildade. Não seja um herói. Não tenha ego. Sempre se questione e refute sua habilidade.

Num documentário, o bilionário Jones foi mostrado que ele usa uma série de técnicas de análise de investimentos, entre elas, a Teoria das Ondas de Elliott. Ao mesmo tempo, o filme apresenta um Paul tendo retornos formidáveis, sugerindo que isso só seria possível se ele usasse estratégias de grande risco. Jones, na verdade sempre afirmou o contrário, como quando disse: “Acho que sou o investidor mais conservador do mundo, pois odeio perder dinheiro. Eu diria que minha filosofia de investimento é que eu não corro muitos riscos, procurando oportunidades de retorno com riscos muito controlados. Ele afirma: nunca deixe que entrem em seu bolso sem sua permissão - isso significa que não há razão para alavancar substancialmente. Não há nenhuma razão para assumir montantes substanciais de risco financeiro, porque você sempre deve ser capaz de encontrar algo onde possa controlar a relação de risco/retorno a seu favor, para que você possa gerenciar uma variedade de pequenos investimentos com grandes oportunidades e baixo risco."

Sendo um investidor global, Paul afirma que é sempre necessário ter uma noção do que está acontecendo em um nível político ou econômico, especialmente se você estiver investindo no longo prazo. Essa é a essência da filosofia de investimento de Jones, e ele insiste na necessidade de se fazer pesquisas e estar sempre querendo aprender mais. Ele acrescenta: “O segredo para ter sucesso em investimentos, é ter uma sede infatigável, imorredoura e insaciável por informações e conhecimento. Porque eu acho que há certas situações em que você pode entender perfeitamente o que motiva cada comprador e vendedor e ter uma boa ideia do que vai acontecer. E isso requer uma enorme quantidade de trabalho pesado e dedicação para encontrar todos os bits de informação possíveis. Não faz diferença qual o tipo de ativo que você está negociando. No final do dia, é tudo igual. Você precisa entender quais fatores você precisa conhecer para desenvolver uma competência essencial para tomar uma decisão de investimento legítima numa classe de ativos específica. E então, no final do dia, a coisa mais importante é quão bom você é no controle de risco. Noventa por cento de qualquer grande trader será o controle de risco.”

O enorme sucesso e riqueza de Jones o levou a dedicar-se à filantropia. Ele fundou a fundação Robin Hood em 1988, que ajuda a combater a pobreza em Nova York. Ele também está muito envolvido no favorecimento de meios para educação de crianças carentes e desempenha um papel ativo em mantê-las responsáveis ​​por seu sucesso. Apesar de sua riqueza lhe trazer grande conforto material, como por exemplo uma propriedade na Flórida que vale US$ 71 milhões, onde mora com sua esposa e quatro filhos, Jones afirma: “Tenho uma ótima esposa e quatro ótimos filhos agora. Essa foi a minha maior conquista.”

Em 1992 Paul publicou o livro de sua autoria, "The Chain of Kindness". Em 2009 publicou o livro "Reminiscences of a Stock Operator: With New Commentary and Insights on the Life and Times of Jesse Livermore" em coautoria com Edwin Lefevre. Em 2015 publicou o livro "Jesse Livermore - Boy Plunger: The Man Who Sold America Short in 1929" em coautoria com Tom Rubython.

Frase marcantes de Paul Tudor Jones (algumas são repetições nesse artigo):

01 - "O mundo inteiro é simplesmente nada mais do que um gráfico de fluxo de capital." Paul Tudor Jones

02 - "O capital intelectual sempre triunfará sobre o capital financeiro." Paul Tudor Jones

03 - "Não seja um herói. Não tenha um ego. Sempre questione a si mesmo e as suas habilidades. Nunca pense que você é muito bom. O momento em que pensar isso, você está morto." Paul Tudor Jones

04 - A regra mais importante do trading é jogar defensivamente e não ofensivamente." Paul Tudor Jones

05 - "Se você tiver uma posição perdedora que esteja lhe deixando desconfortável, a solução é muito simples: saia, porque você sempre poderá retornar e não há nada melhor do que um novo começo." Paul Tudor Jones

06 - "Eu vou continuar cortando o tamanho da minha posição à metade enquanto eu tiver investimentos perdedores. Quando estou cometendo erros, eu continuo reduzindo minha posição, dessa forma eu vou estar operando com posições pequenas quando estou no meu pior momento." Paul Tudor Jones

07 - "Nunca faça preço médio..." Paul Tudor Jones

08 - "Nunca faça trading em situações que você não tenha o controle." Paul Tudor Jones

09 - O segredo do sucesso no trading é ter uma fome incansável e insaciável por informação e conhecimento." Paul Tudor Jones

10 - "Todos os dias eu assumo que as posições que eu tenho estão erradas." Paul Tudor Jones 

11 - "Adaptar, evoluir, competir ou morrer." Paul Tudor Jones

12 - "Você deve querer estar sempre no controle e não desejando. Deve estar sempre correndo e sempre, em primeiro lugar, proteger a sua bunda." Paul Tudor Jones

13 - No fim do dia a coisa mais importante é o quão bom você é na gestão de risco." Paul Tudor Jones

14 - "Tente evitar qualquer ligação emocional com algum mercado. Não tenho nenhuma lealdade a qualquer posição." Paul Tudor Jones

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2254


segunda-feira, 28 de setembro de 2020

A excelência de um líder

 

Segundo Stephen R. Covey, em seu best-seller "O 8° Hábito - Da Eficácia à Grandeza", liderar é: "Comunicar às pessoas seu valor e seu potencial de forma tão clara que elas acabem por vê-los em si mesmas".

Mais do que nunca o mundo precisa de líderes que ajudem seus liderados a perceberem seu potencial para crescer em todos os sentidos, mas sobretudo na sua espiritualidade. Muitos entendem que espiritualidade é assunto apenas para a religião. Cresce, porém, no mundo contemporâneo a noção de que espiritualidade é um nível superior de consciência em relação a si próprio e na convivência com as pessoas.

O apóstolo Paulo tinha consciência de que sua autoridade na igreja lhe fora dada por Deus e só teria valor ao ajudar as pessoas a crescerem espiritualmente . O crescimento espiritual começa quando o Santo Espírito vem habitar em nós (João 14.16,17). Passamos, então, a ser novas criaturas em Cristo (2 Coríntios 5.17). A velha natureza é substituída por uma nova (Romanos 6.6,7) .

O crescimento espiritual é um processo que ocorre durante toda a vida, na medida em que estudamos e aplicamos a Palavra e andamos segundo o Espírito de Deus (Gálatas 5.16-26). Nesse processo, Deus coloca líderes em nosso caminho. Certamente o maior crescimento é vencer o egoísmo e nos empenhar para que todos ao nosso redor cresçam juntos. Louvemos a Deus pelas lideranças em nossa vida!

Eu comento: esses conselhos para o exercício da liderança verdadeira, vale para todos os aspectos em nossa vida...

Fonte: Livro Castelo Forte, pg.26/09/2020 - Autor Cláudio Siegfrid Schefer 

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

William (Bill) Hunt Gross antes de se aposentar era considerado o Rei dos Bonds.


O fundador da PIMCO e lenda da indústria de títulos, Bill Gross, 75 anos, dono de uma fortuna de US$ 1,5 bilhão, encerrou sua vida anterior, quando administrava grandes empresas de investimento e fazendo manchetes no mercado. Mas isso não significa que ele acabou como investidor. Em vez disso, o antigo “rei dos títulos” está colocando o dinheiro para trabalhar para seu próprio bem, em vez de administrar o que já foi o maior fundo de renda fixa do mundo.

Bill H. Gross nasceu em 1944 na cidade de Middletown, Ohio. Seu pai era executivo de vendas e sua mãe dona de casa. Ainda jovem, em 1954, mudou com sua família para San Francisco, Califórnia, onde concluiu sua formação escolar. Como ele era um aluno "automotivado" e com grande potencial acadêmico, conseguiu uma bolsa na Duke University como Angier B. Duke Scholar, onde obteve o diploma de psicologia em 1966. Nesse mesmo ano se alistou e serviu na Marinha, de 1966 a 1969 como engenheiro-chefe assistente a bordo do USS Diachenko, tendo realizado várias missões na guerra do Vietnã. Logo depois de dar baixa, reiniciou seus estudos e obteve um MBA pela UCLA Anderson School of Management em 1971. Gross, no início dos anos 70, jogava blackjack profissionalmente em Las Vegas, Nevada, e disse que aplica muitos de seus métodos de jogo para avaliar riscos e calcular probabilidades para suas iniciativas de investimento.

Gross foi casado duas vezes. Em 1968, ele se casou com Pamela Roberts. Eles tiveram dois filhos: Jeff e Jennifer. Mais tarde, eles se divorciaram. Em 1985, ele se casou com Sue J. Frank, com a qual se divorciou em 2016. Eles têm um filho, Nick. 

Gross foi um dos três fundadores da PIMCO - Pacific Investment Management Company, LLC em 1971. Com sua capacidade analítica, Bill ganhou cada vez mais protagonismo no grupo e no mercado de ações, sendo que a medida que a PIMCO cresceu, o investidor foi se atualizando e adotando práticas adequadas para o período.

Apelidado de “Bond King”, Gross administrava um dos maiores fundos mútuos do mundo, com foco principalmente em títulos e investimentos de renda fixa. Chamado de "o investidor de títulos mais proeminente do país" pelo The New York Times, em dado momento de sua carreira, Bill administrava o fundo Total Return da PIMCO, o PTTRX, com quase US$ 293 bilhões em ativos e vários outros investimentos de menor expressão. 

Atualmente a PIMCO gerencia investimentos e desenvolve soluções em todo o espectro de classes de ativos, estratégias e veículos, incluindo renda fixa, ações, mercadorias, alocação de ativos, ETFs, fundos de hedge e de private equity. A PIMCO é uma das maiores administradoras de investimentos, gerenciando ativamente mais de US$ 1,92 trilhão em ativos para bancos centrais, fundos soberanos, fundos de pensão, corporações, fundações e dotações, e investidores individuais em todo o mundo. A PIMCO está sediada em Newport Beach, Califórnia, e tem mais de 2.900 funcionários trabalhando em 17 escritórios nas Américas, Europa e Ásia. 

Gross era a pessoa que controlava o maior número de ações do planeta. Ganhou tanto destaque, chegando ao ponto de ser consultado pelo governo norte-americano sobre ações para amenizar os efeitos causados pela crise do subprime na economia. Bill aconselhou o Tesouro Americano sobre o papel dos títulos hipotecários nesse período. Ao nomear Gross como o melhor gestor de fundos da década de renda fixa em 2010, Morningstar disse: “Nenhum outro gestor de fundos ganhou mais dinheiro para as pessoas do que Bill Gross”. Gross era conhecido por sua capacidade de identificar e explorar ineficiências nos mercados e por ajustar suas estratégias conforme a PIMCO crescia, desde a adoção de novas tecnologias, até derivados e a internet. Ben Trosky, que criou e dirigiu o negócio de títulos de alto rendimento da PIMCO da década de 1990 até o início de 2000, disse à Barron's que Gross era "um operador incrível, um ótimo analista e um bom vendedor, capaz de destilar ideias complexas em algo simples e acessível."

Gross foi capaz de vencer o mercado durante grande parte de sua carreira explorando o elemento da certeza e dominando o elemento da incerteza, de acordo com uma história da Fortune de 2002, "The Bond King". A certeza para um investidor em títulos como Gross, incluía variáveis, tais como classificações de crédito, rendimentos, vencimentos e prazos, tudo sob risco controlado. Quanto mais longa a duração de um título, mais energicamente seu preço flutua quando as taxas mudam, com investidores cautelosos escolhendo durações de prazo mais curto para limitar a volatilidade dos preços causada por mudanças nas taxas de juros. Gross tirou proveito da incerteza ao fazer suposições fundamentadas - mas precisas - sobre a direção das taxas de juros, inflação e outras variáveis ​​que afetam os títulos.

Após o colapso de Wall Street em 2008, Gross emergiu como um dos financiadores mais influentes do país e se tornou um dos mais fervorosos defensores da estratégia do governo Obama (o Programa de Investimento Público-Privado, ou PPIP) para recrutar investidores privados para ajudar a resgatar os bancos em dificuldades do país e tentar reanimar a economia.

Gross foi demitido sem justa causa da PIMCO no final do outono de 2014, indo administrar um fundo menor, do Janus Capital Group (agora Janus Henderson ). Em 2015, ele processou e venceu a PIMCO e a controladora Allianz, que foram obrigadas a pagar uma multa superior a US$ 80 milhões. O dinheiro foi revertido (doado) para a instituição de caridade William and Sue Gross Family Foundation, cuja presidente era a ex esposa de Bill, Sue Gross, pois agora são divorciados. Bill Gross reconheceu publicamente a liderança e contribuições de Sue Gross para a fundação da família em uma entrevista com a Bloomberg em 2016, afirmando: “Sue é a responsável pela fundação. Ela passa o tempo todo procurando oportunidades, muitas delas locais. Eu me reporto a ela. No entanto, praticamente logo em seguida, Sue pediu o divórcio, levando com ela cerca de US$ 1,3 bilhão um ano depois. Obviamente, Sue não está mais ligada à fundação. Com o divórcio, o patrimônio líquido de Bill caiu para US$ 1,5 bilhão. Ambos agora administram as próprias instituições de caridade, sendo que Gross formou a William, Jeff e Jennifer Gross Family Foundation em 2018 com seu filho e filha de sua primeira esposa, um comitê de coordenação das  atividades filantrópicas dessa nova fundação. A fundação doa mais de US$ 20 milhões anualmente e doou mais de US $ 1,5 milhão em 2020, no esforços para o alívio do coronavírus. Ao longo dos anos, Gross se tornou o maior doador da história para Médicos Sem Fronteiras, com aproximadamente US$ 25 milhões. Sua doações visam basicamente o setor de saúde. Gross foi diagnosticado com Síndrome de Asperger, que é um transtorno de desenvolvimento que afeta a capacidade de se socializar e de se comunicar com eficiência e é um dos estados do espectro autista geralmente com maior adaptação funcional.

William (Bill) Hunt Gross escreveu dois livros. O primeiro foi em 1997: "Everything You've Heard About Investing Is Wrong!" Nesse livro ele anuncia o início de uma nova era financeira, na qual as regras para os investidores serão dramaticamente diferentes. Com inteligência e humor, Gross recomenda estratégias, revelando para onde os mercados estão se dirigindo - e como conduzi-los ao sucesso. O segundo foi em 1998, "Bill Gross on Investing". Neste livro, ele prepara os leitores para uma abordagem completamente nova de investimento. Ele enfatiza títulos, os tipos certos de ações e uma carteira de investimento globalizada para esta nova era de investimento.

Frases marcantes de Bill H. Gross:

"O mercado pode se mover por razões irracionais e você tem que estar preparado para isso..." Bill H. Gross

"Você precisa fazer grandes apostas quando as probabilidades estão a seu favor - não grandes o suficiente para arruiná-lo, mas grandes o suficiente para fazer a diferença." Bill H. Gross

"Tanto do ponto de vista de ações quanto de títulos, um investidor quer ir até onde está o lucro" Bill H. Gross

"Encontrar a melhor pessoa ou a melhor organização para investir seu dinheiro é uma das decisões financeiras mais importantes que você já fez." Bill H. Gross

"Por causa da natureza humana dos seus controladores, as instituições em algum ponto perdem seu senso de missão. Essa sensação de vulnerabilidade impulsiona a Pimco." Bill H. Gross

"Meu início de carreira no blackjack me ensinou várias coisas. A primeira é que se você se aplicar com muito trabalho árduo e habilidade matemática, poderá vencer o sistema." Bill H. Gross

"Os investidores em Bonds são os vampiros do mundo dos investimentos. Eles amam a decadência, a recessão - qualquer coisa que leve a uma inflação baixa e à proteção do valor real de suas aplicações." Bill H. Gross

"Você realmente gosta de uma determinada ação? Coloque 10% ou mais de seu portfólio nele. Faça a ideia valer ... Boas ideias [de investimento] não devem ser diversificadas até o esquecimento sem sentido." Bill H. Gross

Meus clientes não me pagam para sentir pena; eles me pagam para trazer dinheiro. Eu sou duro, mas tenho um lado suave." Bill H. Gross

"Você conhece aqueles ditados sobre cheirar as rosas e perseguir borboletas? Os mercados são minhas borboletas e minhas rosas." Bill H. Gross

"As ações, historicamente, retornam mais do que quase todos os outros investimentos alternativos, mas apenas quando precificadas corretamente no início da corrida." Bill H. Gross

"Os Bonds, apesar de seus rendimentos ridículos, não serão facilmente ameaçados por um novo mercado em baixa." Bill H. Gross

"Com toda essa dívida do consumidor, dívida empresarial, dívida pública, movimentos menores nas taxas de juros têm um efeito ampliado. Um pequeno movimento pode tombar o barco." Bill H. Gross

"Sempre que leio o jornal, digo a mim mesmo: ‘Pelo menos minha esposa me ama’."

"Eu admito que sou introvertido. Eu não sei por que os introvertidos têm que se desculpar." Bill H. Gross

"Parece, talvez, que quanto mais e mais tempo você se mantém nesse negócio, mais e mais tempo você tem para expor seu calcanhar de Aquiles." Bill H. Gross

"Tenho um histórico de 41 anos de excelência em investimentos... o que você tem?" Bill H. Gross

"As pessoas têm diferentes impressões de si mesmas, e onde reside a realidade é algo entre os dois." Bill H. Gross

"É como uma gangorra; quando as taxas de juros caem, os preços sobem." Bill H. Gross

"Estamos testemunhando a morte da abundância e o enfado da austeridade, pelo que pode ser um longo, longo tempo." Bill H. Gross

"Se as empresas não sabem que podem ficar sem dinheiro, não pensarão em maneiras de não ficar sem dinheiro." Bill H. Gross

"A única maneira de competir é ser extremamente inteligente no uso dos materiais. E usando software, somos capazes de fazer isso." Bill H. Gross 

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2242


terça-feira, 8 de setembro de 2020

Carl Icahn é considerado como um dos maiores mestres do hostile takeover do mundo.

Carl Icahn, considerado como um dos maiores mestres do hostile takeover do mundo, nasceu em 1936 em Nova York, tendo portanto, 84 anos. O pai era um cantor e mais tarde um professor substituto. A era mãe professora. Ele foi criado no Condado do Queens,  em Nova York, onde iniciou os estudos na escola pública Far Rockaway High School. Bacharelou-se em Artes e pós-graduado em Filosofia na Universidade de Princeton, localizada em Princeton, Nova Jérsei. Tentou cursar medicina por dois anos. Depois alistou-se no Exército dos Estados Unidos. Depois de dar baixa, alinhou-se com Wall Street. Aos 25 anos, pediu empréstimo de US$ 400 mil ao seu tio e com mais os US$ 150 mil que possuía, comprou uma cadeira de investidor na Bolsa de Valores de Nova York, onde começou a desenvolver as suas habilidades como investidor. Foi casado de 1979 a 1999  com Liba Trejbal, com quem teve dois filhos. Atualmente é casado com Gail Icahn.

Icahn fundou a Icahn & Co sete anos depois de se tornar corretor, em 1968. Na aquisição da TWA, em 1985, ele ganhou destaque no mercado. Muitos dos ativos de Icahn foram comprados pela American Real Estate Partners L.P, empresa da qual ele era acionista majoritário e que foi renomeada para Icahn Enterprises (NASDAQ: IEP) em 2007 e cujo endereço é o famoso edifício da  General Motors em Nova York. Tal fato ocorreu como resultado de uma maior diversificação de investimentos de Carl no mercado financeiro. Suas ações como controlador da empresa marcaram os traços da carreira do investidor, que é considerado um especialista em aquisições de controle acionário, Porém, seu estilo agressivo de negociar, considerado por parte do mercado como discutível, fez com que conseguisse ações de empresas do porte de Texaco, Time Warner, Motorola, Herbalife, entre outras. Muitos o consideram como um dos maiores mestres do hostile takeover do mundo. A estratégia do bilionário podem ser vistas de dois diferentes ângulos: remar contra a maré e ser um investidor ativista, e ambas estão fortemente conectadas. Icahn geralmente vai contra os movimentos populares do mercado, comprando ativos subvalorizados que estão tendo desempenhos ruins, e então lucrando quando o preço do ativo “repicar”. Como um investidor “do contra”, Carl Icahn procura por empresas que ninguém quer. Ele identifica aquelas companhias cujo o preço das ações estão baixos o suficiente para fazer com que a relação Preço/Lucro seja baixa, e também que o valor contábil exceda o seu valor de mercado. Nestes casos, o investidor compra parcelas significantes da empresa e começa a fazer mudanças na administração.

Já vimos, portanto, que Carl Icahn é um investidor polêmico. Por seu estilo impositivo, sua trajetória é marcada por longas disputas judiciais. Um dos casos mais famosos é sua briga na justiça com o investidor Bill Ackman, pela Hallwood Realty. Esses homens ultra-ricos lutaram por sete anos em vários tribunais, por cerca de US$ 4,5 milhões. Isso pode ser dinheiro de verdade para meros mortais, mas para esses dois, é apenas um erro de arredondamento. A batalha judicial, ao que pareceu, era mais sobre grandes egos do que muito dinheiro. A confusão finalmente terminou, com a vitória de Ackman. Mas, antes de terminar, o caso envolveu advogados poderosos e gerou milhões de dólares em honorários advocatícios, tudo por causa de um acordo que, de outra forma, seria esquecível que a dupla havia acertado em 2004. No mundo secreto dos fundos de hedge, a maioria dos gestores de dinheiro prefere a discrição. Não o Icahn e nem o Ackman. Eles são como cães de caça de mídia que cortejam a atenção do público e regularmente estrelam conferências com investidores. Em muitos aspectos, foi uma batalha geracional, um choque entre a velha Wall Street e a nova Wall Street. Icahn pode às vezes parecer preso na década de 1980. Ackman é o garoto-prodígio esperto. Ele também se tornou extremamente rico, embora sem a velha rudeza de Icahn. Depois de perder uma batalha contra a Target em 2009, ele engasgou durante um discurso em que citou Martin Luther King Jr. e John F. Kennedy. Ambos compram participações em empresas e "tocam o terror" por mudanças. 

Ao tornar-se o candidato presidencial republicano, Trump anunciou que iria nomear Icahn para secretário do Tesouro. No entanto, acabou nomeando Steve Mnuchin. Conforme a Fortune Magazine, o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu a Icahn para servir como um consultor especial sobre regulamentação financeira, a partir de janeiro de 2017.

De acordo com a revista Forbes, Ichan tem um patrimônio líquido de US$ 16,6 bilhões de dólares, tornando-o a 26ª pessoa mais rica da Forbes 400 e o 5º gerente de fundos de hedge mais rico em fevereiro de 2017. Embora sua reputação como homem de negócios "cruel", é um renomado filantropo. O Icahn Stadium na Ilha de Randall, na cidade de Nova York, leva o nome dele, assim como o Carl C. Icahn Center for Science e o Icahn Scholar Program no Choate Rosemary Hall, uma escola preparatória em Connecticut. Essa organização paga mensalidades, hospedagem e alimentação, livros e suprimentos para 10 alunos todos os anos durante quatro anos (calouros-sênior), uma despesa que soma cerca de US$ 160.000 por aluno. Também construiu a Icahn House que abriga famílias sem teto na cidade de Nova York.

Em 2014 Mark Stevens escreveu o livro "King Icahn: The Biography of a Renegade Capitalist" King Icahn é um drama humano sem paralelo. É a história de um homem que surgiu de origens humildes para emergir como a força mais poderosa, excêntrica, irritante, combativa e bem-sucedida no mundo dos negócios. O livro relata um Icahn repleto de contradições, justaposições, paradoxos e jogos de poder épicos. Tudo isso levou a uma reorganização do cenário financeiro / empresarial, ao medo elétrico por parte dos CEOs ao ouvirem as palavras aterrorizantes "Carl Icahn está ao telefone" e é uma das maiores fortunas do mundo. King Icahn é o único livro escrito sobre Icahn, completamente independente, mas com acesso total ao próprio homem. Ele revela a história por trás do maior financista / pit bull de sua geração, sua epifania de bilhões de dólares, seu verdadeiro motivo para enfrentar a elite dos CEOs, bem como seus amores, rixas, idiossincrasias e brilho intelectual. 

Algumas frases notáveis de Carl Icahn:

“A minha opinião é que, filosoficamente falando, eu estou fazendo a coisa certa em tentar sacudir estas administrações. O problema da América (sic) hoje em dia, é que nós não estamos nem perto de ser produtivos como deveríamos ser. Este é o motivo de termos problemas na balança comercial. É como a queda do Império Romano, quando metade da população estava desempregada.” Carl Icahn

“Eu não sou o Robin Hood. Eu gosto de ganhar dinheiro.” Carl Icahn

“Nesse negócio de tomar controles, se você quiser um amigo, compre um cachorro.” Carl Icahn

“Se você quer fazer uma empresa bem sucedida, você deve olhar a realidade nos olhos, e a realidade é menores salários.” Carl Icahn

“Eu vejo empresas como negócios, enquanto os analistas de Wall Street buscam desempenho nos resultados trimestrais. Eu compro ativos e potencial de produtividade. Wall Street compra lucros, então eles não percebem muitas coisas que eu percebo em certas situações.” Carl Icahn

“Eu tenho que olhar os interesses dos acionistas, e eu sou o maior acionista.” Carl Icahn

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2189

terça-feira, 1 de setembro de 2020

John Clifton "Jack" Bogle: segundo a revista Fortune, "um dos quatro gigantes do investimento do século XX.

John Bogle nasceu em 1929, em Montclair, New Jersey, falecendo aos 89 anos, em 2019, de câncer, em Bryn Mawr, Pensilvânia. Seu patrimônio líquido no ano do seu falecimento era de 180 milhões de dólares.

O ano do seu nascimento coincidiu com a Grande Depressão, também conhecida como Crise de 1929, tendo sido uma grande depressão econômica que teve início em 1929, e que persistiu ao longo da década de 1930, terminando apenas com a Segunda Guerra Mundial. Sua família foi muito afetada por essa crise. Eles perderam seu dinheiro e tiveram que vender sua casa, com seu pai caindo no alcoolismo, que resultou no divórcio de seus pais.

Jack fez o ensino médio na Manasquan High School, Manasquan, Nova Jersey. Seu bom histórico acadêmico permitiu-lhe ganhar uma bolsa para estudar na Blair Academy. Tinha uma especial habilidade em matemática e cálculos. Nessa escola formou-se no ensino médio com distinção, o que lhe valeu ser aceito na  Princeton University, Nova Jersey. Bacharelou em economia e investimentos em 1951, com a graduação Summa Cum Laude ("com a maior das honras") que é a maior distinção e o reconhecimento por obter a máxima qualificação possível em uma titulação universitária. Bogle casou com Eve Bogle e tiveram seis filhos.

Sua tese de formatura, "The Economic Role of the Investment Company" (O Papel Econômico da Empresa de Investimentos) chamou a atenção de Walter L. Morgan, fundador da Wellington Fund, convidando-o a trabalhar lá como seu assistente. Você pode ler trechos de sua tese, clicando aqui. Galgou posições na empresa, demonstrando iniciativa e criatividade ao desafiar a administração da Wellington a mudar sua estratégia de concentração em um único fundo, e fez o possível para demonstrar sua intenção de criar um novo fundo. Ele conseguiu e o novo fundo se tornou um ponto de virada em sua carreira. Depois de subir na hierarquia com sucesso, em 1970 ele substituiu Morgan como presidente da Wellington.

John Bogle viria a sofrer um grande revés na carreira ao ser despedido, pouco tempo depois, por uma fusão "extremamente imprudente" que ele aprovou. Foi uma má decisão que ele considerou seu maior erro, afirmando: "A grande coisa sobre esse erro, que foi vergonhoso e indesculpável e um reflexo de imaturidade e excesso de confiança além do que os fatos justificam, foi que aprendi muito."

Em 1975, Bogle fundou a Vanguard Company, que agora é uma das empresas mais respeitadas e bem-sucedidas no mundo dos investimentos, com mais de US$ 6,2 trilhões em ativos sob gestão. É o maior provedor de fundos mútuos e o segundo maior provedor de fundos negociados em bolsa do mundo, depois dos iShares da BlackRock. Em 1999, a revista Fortune nomeou Bogle como "um dos quatro gigantes do investimento do século XX". Em 1976, influenciado pelos trabalhos de Paul Samuelson, Bogle fundou o First Index Investment Trust (um precursor do Vanguard 500 Index Fund) como o primeiro fundo mútuo de índice disponível para o público em geral.

A ideia de Bogle sobre investimento em índices oferece uma distinção clara, mas proeminente, entre investimento e especulações. Jack Boogle afirmava que a principal diferença entre investimento e especulação está no horizonte de tempo e no risco do capital. O investimento está preocupado em capturar retornos no longo prazo com menor risco sobre o capital, enquanto a especulação está preocupada em obter retornos em um curto período de tempo, com risco potencialmente alto para o capital. O especulador geralmente está preocupado apenas com o preço de um título e não com o negócio subjacente como um todo; o investidor está preocupado com o negócio subjacente e não com o preço do título. Mesmo que um negócio tenha fluxo de caixa estável, as cotações de mercado de um título são o resultado de especuladores elevando os preços e baixando os preços com base na esperança, medo e ganância.

Bogle defendia uma abordagem de investimento definida pela simplicidade e bom senso. A ideia ousada dele era obter melhores retornos no longo prazo com custos mais baixos comparativamente aos outros fundos. Abaixo estão suas oito regras básicas para investidores:

1 - Selecione fundos de baixo custo;
2 - Considere cuidadosamente os custos adicionais de consultoria;
3 - Não superestime o desempenho anterior do fundo;
4 - Use o desempenho anterior para determinar a consistência e o risco;
5 - Cuidado com as estrelas (falando dos gestores "estrelas" dos fundos mútuos);
6 - Cuidado com o tamanho do ativo;
7 - Não tenha muitos fundos;
8 - Compre sua carteira de fundos - e mantenha-a.

Mais tarde, Bogle expressou preocupações de que a crescente popularidade da indexação passiva levaria a uma concentração do poder de voto corporativo para os líderes das três maiores firmas de investimento (Vanguard, BlackRock e State Street), acrescentando: "Não acredito que tal concentração serviria ao interesse nacional."

Apesar do sucesso nos negócios, a vida de Bogle foi marcada por diversos problemas de saúde. Aos 31 anos, sofreu seu primeiro de vários ataques cardíacos, até ser diagnosticado com uma doença cardíaca rara aos 38 anos. Em 1996, aos 66 anos, passou por um transplante bem sucedido de coração. Apesar da saúde debilitada, Bogle fazia questão de estar à frente de sua empresa e pressionava por mais reformas na governança corporativa e na administração de fundos.

John é autor do livro lançado em 1999: "Common Sense on Mutual Funds" (Senso comum em fundos mútuos: novos imperativos para o investidor inteligente). A publicação tornou-se um best-seller e é considerado um clássico dentro da comunidade de investimentos..

Frases marcantes de Jack Bogle.

“Existe pouca certeza em investir. Como investidores de longo prazo, no entanto, não podemos deixar que as possibilidades apocalípticas nos afugentem dos mercados. Sem risco, não há retorno”. John Bogle

"Os gerentes de fundos devem fornecer o retorno do mercado ... Mas esse retorno vem apenas antes de suas taxas exorbitantes, despesas operacionais e custos de rotação do portfólio serem deduzidos. O jogo de soma zero antes dos custos se torna um jogo de perdedor depois dos custos." John Bogle

"O principal papel do fundo mútuo é servir seus investidores." John Bogle

"Sim, o colosso do marketing conhecido como indústria de fundos mútuos fornece o armamento que permite aos investidores saciarem seus instintos suicidas. Não, o setor de fundos dificilmente foi um espectador inocente no boom do mercado e na carnificina subsequente. “Encontramos o inimigo e ele somos nós”… todos nós." John Bogle

"A coragem de prosseguir independentemente de enfrentarmos mar calmo ou agitado, e especialmente quando as tempestades do mercado uivam ao nosso redor - é o atributo por excelência do investidor de sucesso." John Bogle

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2183

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

George Soros: de US$ 12 milhões em 1970 para US$ 25 bilhões em 2011.

George Soros, nascido como György Schwartz em Budapeste em 1930, em 2018 já tinha doado mais de 32 bilhões de dólares para sua agência filantrópica, a Open Society Foundation.

Soros, aos 17 anos emigrou para o Reino Unido, em 1947, quando passou a estudar na London School of Economics, graduando-se em bacharelado e em mestrado, em filosofia. Enquanto estudou ele fazia bicos como carregador de malas de uma ferrovia e garçom de boates.

George Soros se casou três vezes, e teve três filhos com sua primeira mulher, a alemã Annaliese Witschak. O casal se separou em 1983, ano em que ele se casou pela segunda vez, com Susan Weber. Ficaram juntos até 2005, e tiveram dois filhos. O investidor húngaro se casou pela terceira vez em 2013. Sua mulher, Tamiko Bolton, é 42 anos mais jovem que ele.

Soros iniciou sua carreira comercial trabalhando em bancos comerciais no Reino Unido e depois nos Estados Unidos, para  onde emigrou em 1956. Passou alguns anos trabalhando em empresas de Nova York antes de fundar seu próprio fundo de investimentos, o Double Eagle, em 1969. Os lucros de seu primeiro fundo forneceram o dinheiro inicial para iniciar o Soros Fund Management, seu segundo fundo de hedge, em 1970. O Double Eagle foi renomeado para Quantum Hedge Fund e foi a principal empresa que Soros gestou.

Quantum Hedge Fund  ganhou notoriedade por suas especulações flexíveis e de curto prazo no mercado financeiro global. Esse sucesso fez de Soros um dos homens mais ricos do mundo e cimentou sua fama no mercado de investimentos. Quando foi criado, a Quantum Hedge Fund possuía 12 milhões de dólares em ativos sob gestão e, em 2011, possuía 25 bilhões de dólares, a maioria do patrimônio líquido geral de Soros.

Além dos fundos de investimento e da filantropia, Soros também gastou dinheiro com equipes de esporte. Ele adquiriu uma pequena parcela do time de futebol inglês Manchester United, sendo que a empresa se encontra com uma enorme dívida e espera reduzir sua receita em até 5% no próximo ano. Diante de um cenário pessimista não haveria nenhuma razão aparente para aplicar em um time desses. Mas talvez, seja exatamente esse sentimento de que ninguém vê as ações com bons olhos que as torne tão atrativas para Soros.

Soros é conhecido como "o homem que quebrou o Banco da Inglaterra" por causa de sua venda a descoberto de 10 bilhões de dólares em libras esterlinas, o que lhe rendeu um lucro de 1 bilhão de dólares, apostando "contra" a libra esterlina, a moeda corrente no Reino Unido durante a crise monetária da Inglaterra, na "Quarta-Feira Negra" de 1992, quando o banco central perdeu um total de três bilhões de libras para especuladores. O evento quebrou o banco central inglês e obrigou o Reino Unido a sair do Sistema Monetário Europeu.

Em 15 de setembro de 1992, o presidente do Bundesbank (o banco central da Alemanha), Helmut Schlesinger, afirmou numa entrevista que seriam necessárias desvalorizações cambiais, num movimento que o banco central inglês estava acompanhando. No dia seguinte, a venda de libras foi massiva. “O Bundesbank estava basicamente pedindo para que os especuladores apostassem contra as moedas mais fracas. Só seguimos a dica”, afirmou George Soros, em 1997, à BBC.

O Banco de Inglaterra tentava a todo o custo impedir os especuladores e o Tesouro chegou a gastar dois bilhões de libras para comprar moeda e elevar artificialmente o preço. Soros vendeu 5 bilhões de libras enquanto estavam com um preço elevado para voltar a comprar quando o valor caiu a pique.

Foi graças a esse e outros tipos de investimento semelhantes que Soros consolidou sua imagem de principal investidor em moeda no mundo, tendo sido acusado de ter, por exemplo, ajudado a criar a crise financeira da Ásia em 1997, quando a moeda tailandesa entrou em colapso, contagiando a economia da região. Soros esteve no centro dessas críticas, mas outros investidores tinham feito apostas bem mais polpudas contra a moeda tailandesa do que a empresa do investidor. Apesar de Soros ser um enigma em relação aos seus investimentos e ao mesmo tempo em que a grande maioria tenta entender a loucura que é a bolsa de valores, Soros transita por ela com a maior facilidade, e o pior de tudo: ele acredita que as ações são algo previsível. George Soros é um investidor estratégico e ousado. Sua estratégia de investimento envolve assumir riscos, com apostas rápidas e de alta alavancagem. Seu método é o oposto ao de Warren Buffett, por exemplo.

Com base em seus primeiros estudos de filosofia, Soros formulou uma aplicação da Teoria Geral da Reflexividade de Karl Popper, com quem estudou. Popper ficou conhecido como grande defensor da democracia liberal no pós-guerra. A concepção de "sociedade aberta" de Popper se tornou uma profunda influência na ideologia de Soros.

Soros é um conhecido apoiador de causas políticas progressistas e liberais, para as quais ele distribui doações por meio de sua fundação. Entre 1979 e 2011, ele doou mais de 11 bilhões de dólares para várias causas filantrópicas. Suas doações "em iniciativas civis para reduzir a pobreza e aumentar a transparência e em bolsas de estudo e universidades em todo o mundo" totalizaram 12 bilhões de dólares.

Ele influenciou o colapso do comunismo na Europa Oriental no final dos anos 1980 e início dos anos 1990 e forneceu uma das maiores doações ao ensino superior da Europa para a Universidade Centro-Europeia em sua cidade natal húngara. Seu extenso financiamento de causas políticas fez dele um "alvo dos nacionalistas europeus". Vários conservadores estadunidenses já promoveram falsas alegações que caracterizam Soros como um "mestre das marionetes" singularmente perigoso por trás de uma variedade de supostas conspirações globais, sendo que o The New York Times relatou em 2018 que essas alegações haviam "mudado da periferia para a corrente principal" da política do Partido Republicano. As teorias da conspiração dirigidas a Soros, que é descendente de judeus, têm sido frequentemente descritas como antissemitas.

No Brasil, Soros, que no passado era visto com desconfiança pela esquerda por sua atuação como especulador em moedas internacionais, também é criticado por ativistas de direita, que o acusam de ser "esquerdista" por financiar ONGs de defesa de direitos humanos. Há quem diga que as teorias da conspiração em torno da organização de Soros lembram bordões usados na Alemanha nazista, incriminando banqueiros judeus que supostamente queriam criar uma "nova ordem mundial".

Em uma carta enviada ao jornal londrino Financial Times, George Soros afirmou que Mark Zuckerberg deve parar de “ofuscar os fatos argumentando piamente pela regulamentação do governo” e que o executivo e a diretora de operações Sheryl Sandberg devem ser removidos do controle do Facebook. Aparente isso foi uma resposta à declaração de Zuckerberg que afirmou que as big techs precisam de mais regulamentação e que novas regras podem prejudicar os resultados do Facebook a curto prazo, mas ajudarão a longo prazo.

George Soros escreveu vários livros, alguns abaixo relacionados:

- A Alquimia das Finanças, de 1987;
- Ficando à Frente da Curva, de 1995;
- A Crise do Capitalismo, de 1998;
- Globalização, de 2002;
- A Era da Falibilidade: Consequências da Guerra Contra o Terrorismo, de 2006;
- O Novo Paradigma para os Mercados Financeiros, de 2008;
- Em Defesa da Sociedade Aberta, de 2019.

Algumas frases dizem mais a respeito de Soros:

"Não há nada de errado em correr riscos; desde que não se arrisque tudo." George Soros

"Se o investimento for divertido, se você estiver se divertindo, você provavelmente não estará ganhando dinheiro. O bom investimento é chato." George Soros

"Eu sou rico apenas porque sei quando estou errado… Eu basicamente sobrevivi por reconhecer os meus próprios erros." George Soros

"Os mercados estão em constante estado de incerteza e fluxo, e dinheiro é feito ao ignorarmos o óbvio e apostando no inesperado." George Soros

"A bolha nos mercados não crescem com ar rarefeito. Elas tem uma base sólida na verdade, mas a realidade é distorcida por um equívoco." George Soros

"A maior parte da pobreza e miséria do mundo acontece por um mau governo, falta de democracia, Estados fracos, lutas internas, e assim por diante." George Soros

"É muito mais fácil colocar recursos existentes em um melhor uso do que desenvolver recursos onde eles não existem." George Soros

"Quando as taxas de juros estão baixas nós desenvolvemos condições para bolhas serem criadas, e elas estão sendo criadas no momento. A última foi do ouro." George Soros

"Se eu tivesse que resumir as minhas habilidades práticas, eu usaria uma palavra: sobrevivência. E operar um fundo hedge utilizou o meu treinamento de sobrevivência ao máximo." George Soros

"A visão geralmente aceita é que o mercado está sempre certo — isso significa que os preços de mercado tendem a precificar desenvolvimentos com precisão, mesmo quando não temos certeza quais sejam estes desenvolvimentos. Eu tenho uma visão oposta. Eu acredito que os preços de mercado estão sempre errados no sentido que eles representam uma visão parcial do futuro." George Soros

"Quando você vende opções, você é pago para assumir risco. Isso pode ser um negócio lucrativo, mas não se mistura bem com o risco inerente de um portfólio alavancado." George Soros

"O problema dos investidores institucionais é que os seus desempenhos geralmente são medidos em relação aos seus pares e não pelo seu valor absoluto. Isso faz com que eles sigam a manada por definição." George Soros

"Nós [na Soros Fund Management] utilizamos opções e instrumentos derivativos exóticos com moderação. Nós tentamos pegar as tendências antes e nos estágios posteriores tentamos pegar a tendência de modo inverso. Por isso, nós tendemos a estabilizar o mercado ao invés de desestabilizá-lo. Nós não estamos fazendo isso como um serviço social. É o nosso estilo de ganhar dinheiro." George Soros

"Eu sou pela máxima supervisão e mínima regulação." George Soros

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2180


terça-feira, 18 de agosto de 2020

Peter Lynch, hoje aposentado, foi gestor do Fidelity Magellan Fund, o maior fundo de ações do mundo.

Lynch, adepto do buy and hold, criou um conhecido mantra para investimento em ações: "Invista em negócios que você conhece e consegue entender claramente e aposte no longo prazo." Este princípio é importante para investidores em ações, que não tem tempo, ou não desejam, fazer estudos complexos sobre o mercado de ações. Uma vez que as pessoas geralmente conhecem bem determinadas empresas, ou produtos, ou mercados, Lynch desenvolve o conceito de que investir nessas empresas é o mais adequado.

Peter Lynch nasceu em 19/01/1944 na cidade de Newton, que fica no estado de Massachusetts. Em 1951, quando Lynch tinha sete anos, seu pai foi diagnosticado com câncer. Ele morreu três anos depois, e a mãe de Lynch teve que trabalhar para sustentar a família. Lynch relata que desde o início da adolescência trabalhou como caddie para ajudar no sustento da família. Durante o tempo de Lynch como estudante do segundo ano no Boston College, em Newton, Massachusetts, ele usou suas economias para comprar 100 ações da Flying Tiger Airlines a US$ 8 por ação. Posteriormente, as ações subiriam para US$ 80 por ação, cujos lucros ajudaram a pagar sua educação. Em 1965, Lynch formou-se no Boston College (BC), onde estudou história, psicologia e filosofia. Mais tarde, ele obteve um mestrado em administração de empresas pela prestigiada Wharton School da University of Pennsylvania, em 1968.

Lynch foi trabalhar em 1966 como estagiário na Fidelity Investments.  Essa oportunidade surgiu porque era caddie para o presidente da Fidelity, D. George Sullivan. Logo em seguida serviu ao exército americano por dois anos, porém voltou para a Fidelity, onde foi contratado permanentemente em 1969, como analista do setor têxtil e de metais  Acabou se tornando diretor de pesquisas na empresa entre 1974 e 1977.

Ainda em 1977, foi nomeado gestor do desconhecido Magellan Fund (fundo mútuo : FMAGX) que faz parte dos negócios da Fidelity. Esse fundo acabou se tornando um dos mais conhecidos mundialmente, certamente por que durante a gestão de Peter, que foi de 1977 (quando tinha 33 anos) até 1990, quando deixou a gestão do fundo aos 46 aos de idade, a lucratividade média do fundo ao longo desses 13 anos foi de 29,2%. Imagine ter aplicado US$ 1 em 1977 e ter saído com US$ 28.14 depois de 13 anos investidos. Em termos de comparação, quem tivesse investido o mesmo valor utilizando o benchmark  (é um índice de referência usado para avaliar o desempenho de uma aplicação. Ele é uma ferramenta bastante usada por bancos e fundos de investimentodo S&P 500 como índice de referência, teria conseguido apenas US$ 6.60.

Quando Peter Lynch assumiu a gestão do fundo Magellan, este possuía um total de US$ 18 milhões em ativos sob gestão. Ao sair, em 1990, o fundo tinha ascendido a US$ 14 bilhões. Certamente a base que Lynch estabeleceu era sólida, devido à capacidade e métodos de Lynch, que apostou em empresas como: Ford, Volvo, Kemper, General Eletric, dentre outras, pois os três gestores seguintes, Morris J. Smith, Jeffrey N. Vinik e Robert E. Stansky tiveram um ótimo desempenho, sendo que Stansky  "entregou" o fundo em 2005 com US$ 52,5 bilhões em ativos.

No seu livro em co-autoria com John Rothchild, "One Up on Wall Street" (Como usar o que você já sabe para ganhar dinheiro no mercado), atualmente disponível na Amazon, Peter declarou que seus estudos de graduação em filosofia e história foram mais importantes para sua carreira do que matemática (estatística) ou finanças que ele estudou para o seu MBA na Wharton. Ele acreditava que duas teorias de investimento vigentes na academia, a Random Qalk Hypothesis (hipótese da caminhada aleatória é uma teoria financeira que afirma que os preços do mercado de ações evoluem de acordo com uma caminhada aleatória e, portanto, não podem ser previstos) e a Efficient-Market Hypothesis (hipótese do mercado eficiente afirma que mercados financeiros são "eficientes em relação à informação". Ou seja, um agente não consegue alcançar consistentemente retornos superiores à média do mercado, considerando as informações disponíveis para o público no momento em que o investimento é feito), eram contraditórias. Os conceitos ensinados pelos professores na escola eram regularmente refutados pelos profissionais durante seu estágio na Fidelity. Assim, ele passou a confiar mais em profissionais do que em teóricos.

Investidores iniciantes e experientes aprenderam bastante com as habilidades de Peter no livro chamado: “O jeito de Peter Lynch de investir: as estratégias vencedoras que transformaram Wall Street” que contém seus principais ensinamentos e práticas para investimentos. Ele também é co-autor com John Rothchild do livro Learn to Earn, onde explicam os princípios básicos do mercado de ações e negócios, em um guia de investimentos que esclarece e entretêm qualquer pessoa na fase de aprendizado do mercado financeiro e para as experientes.

Quando se afastou da gestão do fundo Magellan, Peter Lynch tinha apenas 46 anos e tinha muito dinheiro para gastar. A Boston Globe estimou certa vez seu patrimônio líquido em US$ 352 milhões. Atualmente trabalha na Fidelity Management & Research Co, o braço de consultoria de investimentos da Fidelity Investments, onde é vice-presidente. Trabalha em meio período, na maior parte do tempo orientando jovens analistas. Grande parte do seu tempo dedica à filantropia. Ele disse que vê a filantropia como uma forma de investimento. Os Lynch doam dinheiro principalmente de cinco maneiras: como indivíduos, por meio da Fundação Lynch, por meio de um Fidelity Charitable Gift Fund e por meio de dois fundos de caridade.  A Fundação Lynch, avaliada em US$ 125 milhões já fez US$ 80 milhões em doações desde o seu início. A Fundação apóia a educação, organizações religiosas, organizações culturais e históricas, hospitais e pesquisas médicas.

Frases que falam mais a respeito de quem é Peter Lynch:

"Lembre-se de que empresas que não tem dívidas não podem falir." Peter Lynch

"Ter ações é como ter crianças: não se envolva com mais do que o que você consegue lidar." Peter Lynch

"Se você está preparado para investir em uma empresa, então deve ser capaz de explicar o porquê de forma simples, para que até um aluno do sexto ano consiga entender, e rápido o suficiente, para que ele não fique entediado." Peter Lynch

"Não é vergonha nenhuma perder dinheiro com uma ação. Todo mundo já passou por isso. O que é vergonhoso é manter a ação, ou pior, comprar mais, quando os fundamentos estão se deteriorando." Peter Lynch

"Se você não estuda empresa nenhuma, você terá o mesmo êxito ao comprar ações do que terá num jogo de pôquer se apostar sem antes olhar suas cartas." Peter Lynch

"As coisas nunca estão claras até ser tarde demais." Peter Lynch

"Quando olho para trás agora, é óbvio que estudar história e filosofia foi uma preparação muito melhor para o mercado de ações do que estudar estatística, por exemplo." Peter Lynch

Fonte: http://agenteinveste.com.br/?p=2174